domingo, 16 de agosto de 2015

QUASE NOVA BIKE








Depois de quase vinte anos de existência, alguns com uso intensivo, e alguns maus tratos é natural que a minha KONA Sex Three precise de muitos cuidados. Sempre insisti em manter os componentes de origem, mas neste momento, além do quadro já só mantêm os travões Magura Blue e a suspensão da frente, uma Judi DH.
Para manípulos de mudanças, grift shift, de 8v, em estado de funcionamento impraticável provocado pelo desgaste, já não consegui encontrar peças, nem novos, o que levou a necessidade de substituir a totalidade da transmissão . Na verdade, uma nova transmissão de luxo e mais uma mudança: - Quase tudo SRAM, gama X9 e já a pensar nos novos desafios; pedaleiros normais, 22/44, mas... cassete a 12/36 e o desviador, claro, SRAM X9. Em resumo, pronta para subir paredes, assim as pernas ajudem..
Trocando por miúdos isto da transmissão, significa que, à minha cadência habitual de uma pedalada por segundo com o pedaleiro maior e com carreto menor atás consigo fazer 26,4Km (44/12x2x3600) por hora, isto em condições óptimas. No oposto, nas piores condições – desníveis acima de 10%- , com o pedaleiro mais pequeno e com o carreto maior atrás apenas consigo fazer
2,4Km (12/36x2x3600) numa hora.
O amortecedor traseiro, é agora um KINDCHOSK A-TWO, colocado por recurso em Vila Real de Sto. António depois de o Fox de origem ter avariado. Contudo, o KINDCHOSK A-TWO será substituido nos próximos dias dado que é de qualidade muito fraca. À frente, a JUDI DH também vai ser substituida porque não satisfaz as exigências dos desafios que se aproximam.

Genericamente, aí está uma bike com quase 20 anos, afinadinha, em boa condição para as voltinhas, mas a aguardar suspensões novas para as próximas aventuras.


Sem comentários:

Publicar um comentário